quarta-feira, julho 27, 2005

Escandalos

Esse é apenas mais um episódio da historia do Brasil varonil, nosso sistema politico está anacronico, podre, carcomido, a luta do Pt em se manter no poder por mais um década prevendo a reeleição de Lula e posteriormente a eleição de Jose Dirceu em 2010 é uma tendencia que ja iniciou-se com a aprovação da reeleição do FHC. Mas isso de corrupção é uma mazela de séculos em nosso país, vem desde o tempo que os protugueses desembarcaram nas prais da Bahia a 500 anos e entregaram aos nativos bugigangas, espelhinhos, colares de conta fazendo assim a primeira espécie de corrupção. Se no descobrimento ja corruptaram os Indios, a coisa toda so veio se agravando ao passar dos tempos, não sejamos hipoocritas em considerar essa lama toda de agora, nosso congresso, nossos politicos ainda mantem o mesmo desejo de se dar bem assim como todos nos, a corrupção é endemica, existe desde os tempos em que o ser humano percebu que com alguma lábia podia conseguir o que quer que seja, bastava desejar e ter o poder de corromper. Essa doença faz parte do ser, basta que aja interesse e interessado. A corrupção é um mal latente, não é apenas previlegio de nos Brasileiros, agora o que se ve é mais uma lavaçào de roupa suja e muito suja que abateu-se sobre esse PT desgastado e desejoso de perpetuar-se no poder da Republica. Não devemos nos descuidar de forma alguma dessas manobras escusas e nebulosas, alerta total.

quinta-feira, junho 30, 2005

Um ano depois

Faz tempo, desde a ultima vez que estive em meu blog e agora volto pra escrever sobre esse projeto que desenvolvi com meus companheiros de pesquisa e trabalho, acredito que alcançamos nosso objetivo, conseguimos operacionalizar uma tv para a web com qualidade e funcionalidade que ate agora nào tenho encontrado, a não ser as cópias do projeto que ja existem, na internet tudo se copia é assim que as coisas funcionam, fazer o que, seguir em frente criando novos desenhos e projetos pra serem novamente copiados por outros que felizmente não tem a mesma capacidade de criação e desenvolvimento. Pra dar nomes aos bois.... o ig copiou nosso desenho e fez uma área de exibiçào de conteúdos muito parecido com o nosso. A urbana fez uma açào pro banco itaú quase uma cópia exeta do nosso canal, no fundo isso me deixa orgulhoso e lisongeado, prova que estamos no caminho certo. Copiem isso faz parte do jogo. Obrigado.

Casablancatv

Quer ver conteúdos diversificados e produzidos com alta tecnologia e qualidade, conseguimos alcançar essas definições nesse site. Criado e desenvolvido por Flavio Fernandes.
Não deixe de assistir esses programas e verifiquem a capacidade de criação.

http://www.casablancatv.com.br


terça-feira, junho 22, 2004

O segredo de Bagatelli

O SEGREDO DE BAGATELLI

Um conto de:

Flavio Fernandes

O vento batia forte em seu rosto. Da pequena cadeira de couro, o jovem e astuto Santos observa a terra como um pássaro nas alturas com seu balão, do alto as árvores mais altas eram pequenas e a medida que se aproximava do campo de pouso, ele cuidadosamente diminuia a velocidade de sua máquina, fazendo baixar a proa do dirigível. Era mais um número em seus testes com os balões de gás, na sua busca daquilo que o fizesse voar até às nuvens mais altas dos cêus.

Estava feliz, sabia que suas experiências o conduziriam ao sucesso tão desejado, ainda mais agora com a ajuda de seus novos amigos. Com eles, tinha resolvido questões que há muito tempo torturavam sua mente. Baixou ainda mais a força do pequeno motor, o balão perdia altura, seus pensamentos viajavam em busca de explicações que sua mente e seu corpo lhe cobravam, e assim pousou com suavidade na grama do campo.

Scott já o aguardava com os últimos resultados dos teste do novo motor, mais potente que o atual e com uma resistência muito maior. Entraram no hangar e foram direto para a bancada para examinar melhor os nóvos dados.

- Esse motor é fantástico Santos, com ele poderemos finalmente por em prática a experiência 14. Tenho certeza que vai dar certo.

- Sim Scott, finalmente conseguimos dar ao motor a resistência necessária para suportar as altas rotações que ele será exposto. De acordo com os resultados destes testes o motor tem a força e resistência que precisamos. Vamos iniciar a construção do 14 o mais rápido possível.

Nesse momento são interrompidos por um assistente que avisa da chegada de pessoas a procura de Santos.

- Senhor, duas mulheres e um homem estão a sua procura, dizem que o senhor sabe quem são. Que faço?

- Mande-os ao meu escritório e sirva-lhes um licor, logo estarei com vocês...

- Scott continue os testes com a estrutura do 14, quero estar pronto com a montagem final nesta semana, pretendo ate o fim deste mês realizar o primeiro vôo. Não vamos mais perder tempo.

Retirou-se da oficina e foi para seu escritório conversar com os recém chegados. Assim que abriu a porta sentiu o perfume doce das mulheres.

- Como é bom vocês estarem aqui, sinto que á cada encontro novas formulas e equações estão sendo resolvidas: minhas principais dúvidas e angústias quanto ao projeto foram elucidadas, e devo confessar: minha atração por Diva torna-se cada vez maior...

Falando isso aproximou-se de uma das mulheres e a beijou. Era uma linda mulher, morena alta, com seu corpo bem delineado, com pernas torneadas, que sempre estavam a mostra por vestidos insinuantes. Uma boca carnuda que fazia Santos beija-la com puro tesão. A paixão de Santos por Diva era mais que atração física e ele sabia disso. Enquanto ele a beijava, era transportado para lugares que nunca havia imaginado, lugares exóticos que para ele pareciam reais. Isso a príncipio lhe causara medo, mas a medida que os encontros aconteciam seu desejo era mais forte e ele se entregava de corpo e alma à ela.

Em suas reuniões ele tinha aprendido como resolver os problemas de sustentação e arrasto de sua máquina voadora, já na cama proporcionava um maravilhoso gozo a Diva, que retribuía com o mais puro prazer. Eva a outra bela mulher tinha um espírito prático e solucionava as questões de física e mecânica como ele jamais pudera imaginar. Diva por sua vez era capaz de resolver intricadas formulas matemáticas, melhor e mais rápido que muitos físicos da época. Tigor o homem, era tão inteligente quanto as mulheres, mas muito mais quieto, falava pouco mas mesmo assim exercia um forte domínio sobre as fêmeas, o que deixava Santos muito intrigado. Tigor aparentemente não se importava quando á Santos mas sim com Diva e Eva que deixavam-se levar pela sensualidade que as envolvia, porém Tigor havia feito Santos jurar para não apresenta-los à ninguém, muito menos comentaria com quem quer que seja suas reuniões e experiências. Caso isso acontecesse, eles simplesmente desapareceriam e sua obra não seria concluída. Santos prontamente concordou com isso mesmo achando uma tolice, pois com seus conhecimentos o trio facilmente seria aceito no circulo cientifico europeu.

Tudo naquele momento estava em ebulição total, era o ano de 1905 e Albert Einstein havia acabado de formular a teoria da relatividade. O mundo avançava rumo a uma tecnologia inusitada e Santos sabia que faria parte dessa Historia, com esses pensamentos voltou ao seu escritório para perceber que estava sozinho, não era a primeira vez que isso acontecia, percebeu um bilhete em sua mesa de trabalho...era de Diva.

"Meu querido tivemos que partir, não pudemos espera-lo, estou com saudades, mas nos encontraremos logo esta noite em sua casa, aguarde-nos precisamos conversar sobre o seu projeto, um beijo, com amor Diva"

Para Santos, pensar em como fazer voar um aparelho mais pesado que o ar era sua maior ambição. Todo seu conhecimento e experiências com os balões, justificava seu objetivo, porém ele sabia que só com a ajuda dos estranhos amigos, conseguiria atingir sua tão cobiçada meta.

- Scott por favor chame Potter, quero falar com urgência sobre os preparativos para a semana.

Poucos instantes depois Potter já estava com eles.

- Aqui estou senhor.

- Potter, tenho agora a solução para o nosso problema com a estrutura. Veja, os chineses faziam as pipas em módulos assim sendo construiremos o 14 do mesmo modo, utilizaremos fios de seda e bambu e o revestiremos com linho, assim será muito leve e rígido.

- Como descobriu tudo isso Sr.? Fico perplexo com sua capacidade de resolver os nossos desafios, é realmente uma facilidade inacreditável que possui.

- Caro Potter, tenho tido idéias mirabolantes, tão espantosas que eu mesmo não acredito, quem poderia até pouco tempo imaginar um motor a explosão utilizado em balões de hidrogênio, ou mesmo um relógio de pulso. Sabe ainda não comentei com você, mas acho que os aviões deveriam ser de metal, talvez o aço, com uma estrutura igual a dos barcos, e depois revestidos com chapas de alumínio, também teriamos um rádio para comunicação, aparelhos de navegação aérea, rodas escamoteáveis e muito, muito mais. Acho que o espaço sideral não é mais o limite Potter, o espaço infinito, as estrelas, o universo tudo estará ao nosso alcance...Tudo!!!!!!

- Sr. por favor, se continuar a falar assim, começo a pensar que está louco, que anda variando, ou coisa muito pior.

Potter deixou Santos com seus pensamentos e correu para o laboratório onde se encontrava Scott.

- Potter e então quais foram as ordens de Santos??

- Scott tenho muito medo, Santos está apostando tudo no projeto 14, acho que as vezes ele chega ao delírio com seus pensamentos, imagine que agora ele estava falando de máquinas voadoras de alumínio, rádio e tantas outras coisas que me deixaram maluco, tão louco quanto ele.

- Caro amigo não se assuste, nosso patrão é assim mesmo e ficou muito pior depois de ter conhecido estas novas pessoas, gente muito estranha, as mulheres são lindíssimas e o homem... nem sei de que lugar da terra ele veio, São tão bonitos e inteligêntes...tão estranhos e misteriosos....

- Fico pensando o que conversam, o que fazem quando estão juntos?

- Hoje a noite será um bom momento para descobrirmos todo esse mistério, pude deitar os olhos num bilhete na mesa de Santos, eles tem um encontro em Bagatelli está noite!

Neste momento o som da cineta ecoa pelo laboratório, Santos está chamando.

- Scott por favor peça meu coche, quero ir para casa.

- Tão cedo Sr., ainda temos muito à fazer, mas pensando bem acho que o senhor precisa descansar, tens trabalhado muito nos últimos tempos, descance, estará mais disposto amanhã.

- Não é nada disso Scott, ainda tenho muito trabalho hoje, espero concluir meus cálculos sobre a velocidade e sustentação, mas devo discutir esses assuntos em minha casa esta noite.

- Com seus amigos Sr.??

- Sim.

- Sr., de onde vem estas seus pessoas? Onde os conheceu? Quem são eles em nome de Deus???

- Cale-se Scott. O que está acontecendo com você criatura, parece uma criança com tantas perguntas, são amigos e pronto, nada mais. Agora me deixe em paz estou cansado e vou para casa, e mais uma coisa, não quero ser incomodado por ninguém. Esta noite quero ter tranqüilidade.

Falando isso caminhou para fora do escritório, antes de sair olhou demoradamente para a estrutura do 14 que começava a tomar forma, sorriu para sua criação e saiu, o coche já o aguardava, acomodou-se e assim a carruagem pôs-se em movimento, em poucos instantes estava dormindo.

Santos sonhou com sua máquina conquistando os cêus. Aos poucos as imagens tornavam-se nítidas, cada vez mais nítidas, ele estava muito alto como jamais poderia imaginar, percebia a curvatura do globo terrestre e a tênue mudança do azul claro da atmosfera para a escuridão do espaço, olhou para baixo e contemplou a terra, era seu sonho de Ícaro vivo, voando nos céus com sua íncrivel máquina voadora, mas logo as cores começaram a mudar, tons mais escuros e sombrios, fogo, fumaça e morte, um turbilhão de emoções tomou conta de seu coração, assustado Santos dispertou suando frio e procurou afastar seus pensamentos dessa horrivel impressão , ele lembra de Diva e de seu próximo encontro está noite, aliviado finalmente chega em casa.

Seu lar, em belo castelo europeu. O mordomo o aguardava na porta, pronto para servi-lo mas que quieto percebeu que o temperamento do mestre, sempre comedido e calmo de falar estavam alterados. Com muita pressa Santos entrou em casa jogando seu pesado casaco sobre a cadeira da biblioteca, pegou um cálice e serviu-se de Brandi, novamente o mordomo estranhou o fato, Santos nunca havia feito isso, raramente bebia e sempre preferiu licor, mais precisamente o de cacau feito por sua tia no Brasil, ou então o famoso 43 espanhol Porque brandi?, essa pergunta ficou na cabeça de Charles o mordomo inglês, que trabalhava para Santos desde que chegou a Paris a mais de dez anos, mas logo os pensamentos de Charles foram interrompidos pela voz pálida e pesada de Santos.

- Charles prepare meu banho, coloque algumas folhas de cidreira na banheira, quero relaxar, outra coisa, como estão os preparativos para o jantar que ofereço está noite, quero tudo impecável, meus convidados são muito especiais, merecem toda distinção e apreço de minha parte..

- Está tudo como o Sr. ordenou. Jantar para quatro pessoas, champanhe e licores separados assim como a comida quase pronta, sua cozinheira brasileira realmente sabe como preparar pratos deliciosos, diga-me, á que horas devo servir os convidados Sr.?

- As nove horas, meus convidados devem chegar pouco depois das oito, tomaremos alguns drinks antes como é de costume em meu País e depois jantaremos, estarei em meu quarto e não quero ser incomodado.

Após subir a escada, dirigiu-se para o quarto e voltou a pensar em seu sonho de a pouco, queria entender o porque dos sonhos que à muito o perturbava, incomodando-o terrivelmente. Este não era primeiro e tinha a certeza de que não seria o último, este sentimento o intrigava, sabia que os sonhos o aborreciam, mas que ao mesmo tempo lhe indicavam caminhos, conceitos, planos, era como um vício, que ao mesmo instante o atormentava, também o aliviava da necessidade de saber e aprender.

Esquecido do mundo estava em sua banheira relaxando e isso era o que importava agora, lembrou-se novamente de Diva, seu rosto, sua pele sedosa, a boca carnuda, as suas pernas longas e torneadas, seus seios macios e perfeitos, o cheiro do seu gozo, ficou excitado e relaxou pensando na noite maravilhosa que teriam juntos, apanhou a toalha e foi para o quarto, sentou-se na cama pensando que roupa seria a mais adequada para a ocasião, nada muito formal, talvez essa nova camisa pólo que havia ganhado de Ada, uma outra mulher intrigante, que a tempos atrás fez parte de sua vida de uma forma tão intensa quanto Diva. Ada cubana de nascimento, cidadã do mundo, inteligente e moderna, independente e muito rica. Santos pensou que suas amigas mais intimas eram muito parecidas, porém Ada era mais morena, pele bronzeada pelo sol do mediterrâneo, onde passava a maior parte do tempo, em uma de suas propriedade a beira-mar.

Ada e Santos, haviam tido um tórrido romance e a casa da praia era testemunha disso, grandes momentos passados juntos. Santos sentiu saudade, decidiu usar uma roupa esporte. Estava pronto quando ouviu o sinal da porta, eles haviam chegado, seu coração disparou como o de um adolescente. Diva estava mais uma vez em sua casa, a noite seria incrível